Greve dos Rodoviários

Rodoviários paralisam parte da frota de ônibus em Manaus

By  | 

Parte da frota de coletivos do transporte público de Manaus deixou de circular na manhã desta terça-feira (29). Apenas 30% dos veículos foram liberados das garagens. Os rodoviários reivindicam melhorias salariais.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) informou que está acionando a Justiça para normalizar os serviços.

Segundo a prefeitura, 30% da frota começou a operar por volta das 4h desta terça-feira, mas 50% dos ônibus já estão nas ruas até 8h30.

Os micro-ônibus do transporte alternativo, que têm restrição de circulação em alguma áreas da cidade, foram autorizados a circular até o Centro da capital.

Pontos de ônibus ficaram lotados no início da Manaus em Manaus (Foto: Patrick Marques/G1 AM)

Pontos de ônibus ficaram lotados no início da Manaus em Manaus (Foto: Patrick Marques/G1 AM)

Fiscais da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) foram enviados às ruas para auxiliar no ordenamento dos terminais.

“Todos os dias eu pego o ônibus 352, para ir trabalhar. Ele passa de 15 em 15 minutos. Hoje, eu já estou há uma hora esperando, mas nenhum veio. Soube ainda pouco que está acontecendo a greve. O que me resta, é esperar”, disse a comerciante Susy Santos, de 33 anos.

Usuários do transporte coletivo lotaram terminais de ônibus em Manaus (Foto: Patrick Marques/G1 AM)

Usuários do transporte coletivo lotaram terminais de ônibus em Manaus (Foto: Patrick Marques/G1 AM)

O eletrotécnico Roberto Kennedy, de 34 anos, disse que começou a usar o transporte coletivo há uma semana, para ir trabalhar. Neste tempo, ele costumava esperar 10 a 15 minutos ao chegar no Terminal 3, para o ônibus passar.

“Eu já estou aqui há uma hora. Eu deveria entrar no trabalho às 7h. Já são 6h55, e nada. Como vi que está acontecendo a paralisação, avisei a empresa e eles mandaram um carro de lá, para me buscar. Vou chegar atrasado”, comentou o eletrotécnico.

Na sexta-feira (25), os coletivos circularam com 60% da frota por conta da greve dos caminhoneiros, que gerou desabastecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *