Polícia

Polícias Civil e Militar recapturam fugitivo da Unidade Prisional de Itacoatiara

By  | 

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) e Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Itacoatiara, sob o comando dos respectivos delegados titulares das unidades policiais, Lázaro Mendes e Paulo César Barros, com o apoio de policiais militares que atuam naquele município, distante 176 quilômetros em linha reta da capital, recapturaram no lugar, na manhã de quarta-feira (14/2), por volta das 10h30, o fugitivo da Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) Ronald Lavareda de Lima, 25, conhecido como “Silinho”.

De acordo com o titular da DIP de Itacoatiara, “Silinho” foi recapturado na casa onde morava, na rua Luiz Onete, bairro Piçarreira, em Itacoatiara. Conforme o delegado Lázaro Mendes, os policiais civis e militares chegaram até o detento após receberem denúncia anônima, indicando a localização de Ronald.

“Montamos campana no lugar informado e avistamos o infrator saindo da casa onde morava. No momento da abordagem, Ronald resistiu à prisão. Ele tentou, inclusive, pegar a arma de um dos policiais civis que participou da ação. De imediato ele foi dominado e conduzido até a viatura”, explicou Mendes.

Conforme o delegado, o infrator fugiu da Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) na manhã da última terça-feira (13/2), por volta das 9h, logo após o recreio no pátio do presídio. “Silinho” estava cumprindo pena por homicídio cometido no dia 5 de dezembro de 2017, em Itacoatiara, que teve como vítima um jovem de 23 anos, Felipe Lacerda Costa.

“No dia do crime “Silinho” efetuou disparos de arma de fogo em direção a Felipe, que morreu no local. Na época, Ronald acabou preso em flagrante pelas equipes de policiais civis de Itacoatiara. O infrator já tem passagem pela polícia por tráfico de drogas, roubo e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito”, declarou Mendes.

Ao término dos procedimentos cabíveis na DIP, Ronald será reconduzido à UPI, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *