Polícia

Suspeito de envolvimento em mortes do soldado Portilho e do cantor Melvino Jr é preso

By  | 

O último suspeito de envolvimento na morte do soldado da Polícia Militar Paulo Sérgio da Silva Portilho foi preso em Manaus. Segundo a Polícia Civil, Fábio Barbosa de Souza, de 28 anos, também seria um dos autores do homicídio do cantor Melvino Júnior, líder do grupo “Júnior e Banda”.

Fábio de Souza foi apresentado em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (2), na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). O suspeito foi preso no dia 30 de dezembro por policiais militares da 13ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), no bairro Cidade de Deus, Zona Norte da cidade. Na ocasião, ele e um comparsa pretendiam roubar um taxista, segundo a polícia.

O suspeito confessou participação no crime contra o PM. que ocorreu dia 26 de maio de 2017, em uma invasão no bairro Nova Cidade, na Zona Norte. Ao todo, 15 pessoas participaram do homicídio: 11 foram presas, 3 adolescentes foram apreendidos e um suspeito morreu durante a prisão.

“Fizemos o que aconteceu [crime]. Só fiz abordar mesmo o policial. Queria pedir desculpas dos familiares. Estou arrependido”, afirmou o homem.

“No caso do soldado Portilho, ele [o suspeito] disse que estava no bar, consumindo substância entorpecente e também assume que trabalhava para o traficante da área, o ‘Filé’, que era ligado ao ‘Gigante’. Ambos já foram presos. Ele afirma que recebeu ordem de Filé para abordar uma pessoa que tinha chegado de moto até a invasão do Buritizal. Ele chega por trás do soldado Portilho e o rende, retira a arma de sua cintura e segundo ele, daí por diante, ele não exerce mais nenhuma ação”, explicou Valério.

Em depoimento, Fábio informou que presenciou o momento em que ‘Filé’ ligou para o ‘Gigante’ para ordenar a execução do soldado. A polícia afirmou que há relatos de que o homem teria desferido uma facada contra o polícia.

Caso Melvino

Segundo a polícia, Fábio também confessou participação na morte do cantor Melvino de Jesus Júnior, líder do grupo musical Júnior e Banda. O crime ocorreu no dia 29 de abril de 2017, no município de Codajás, a 297 quilômetros de Manaus.

Durante a coletiva, o suspeito contou que receberia 1 kg de drogas pelo trabalho. “Só dei a fuga para o Henrique. Ia receber 1kg de droga. Foi uma concorrência lá de Coari”, informou o suspeito.

Segundo o delegado Juan Valério, Fábio deu apoio ao executor do assassinato.

“No caso do cantor Melvino, ele [Fábio] disse que foi contactado pelo ‘Dentinho’, que está foragido. Dentinho manteve contato com um traficante de Coari, que era para executar o traficante conhecido com ‘Vitão’. Aí ele [Fábio] foi até Codajás, juntamente com Henrique [outro suspeito] e vai dando apoio, conforme as imagens que nós temos para garantir a execução. O Henrique efetua os disparos e eles saem em fuga. Ele disse que eles iriam receber 1kg de droga pelo serviço, mas acabaram executando a pessoa errada. Apesar dele não ter efeutado os disparos, ele concorreu para que esse crime ocorresse”, afirmou Juan Valério.

Fábio vai responder pelos dois homicidios e será encaminhado para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *