Esporte

Convidado de última hora participa de treino em Manaus realiza sonho

By  | 

O treino da Seleção no último sábado, em Manaus, teve uma participação especial que quase passou despercebida. Maradona esteve em campo e bateu bola com Neymar e companhia. Mas não foi o ídolo argentino. E ficou bem longe de ser um intruso. Na verdade, foi convidado. Dividiu o vestiário com os jogadores, ouviu conselhos de Tite e participou da atividade aberta com o grupo. Mais de 36 mil pessoas acompanharam o treinamento.

Maradona do Amazonas treinou com a Seleção no último sábado (Foto: Mauro Neto/Sejel)

Maradona do Amazonas treinou com a Seleção no último sábado (Foto: Mauro Neto/Sejel)

Estagiário da pasta pública que administra a Arena da Amazônia, Diego Armando Duarte Amazonas ganhou o apelido de Maradona por ter os primeiros nomes idênticos ao do ídolo argentino e foi agraciado com a chance de treinar com a Seleção meio por acaso.

– Estava ajudando as pessoas aqui fora no estacionamento quando me chamaram para treinar com a Seleção, porque um rapaz que havia sido convidado acabou não podendo vir. Sempre sonhei com isso e acabou sendo uma experiência única, uma bênção na minha vida. Vou levar isso para sempre, não só pela lembrança, mas como experiência dentro da profissão. Ganhei muito conhecimento hoje – disse Diego em entrevista ao GloboEsporte.com.

Nascido em 1989, foi batizado Diego Armando como homenagem do pai ao melhor jogador da época. Até seguiu no futebol, jogando nas categorias de base de clubes locais. Mas, aos 28 anos, está aposentado há algum tempo, por causa da falta de oportunidades no cenário amazonense.

”Convocação” para a Seleção veio em momento difícil

Aluno de Educação Física, Maradona passa por uma fase não tão boa na vida. Seu pai está doente, o que quase o impediu de aproveitar a chance de entrar em campo com a Seleção. Thiago Durante, seu chefe, revelou que ele havia sido dispensado de trabalhar por estar abalado com a situação. Mas, mesmo assim, insistiu para contribuir com o serviço no treino aberto.

E acabou sendo premiado pelo acaso, com uma oportunidade que nunca mais vai esquecer. Em campo com os ídolos, encontrou amizade e força.

– Conversei com todos os jogadores. O Alisson me deu uma força enorme, porque não estou passando por um momento legal na minha família, com meu pai doente. Foi uma experiência única, que dinheiro nenhum paga. Então estou muito feliz – completou.

Maradona, assim como Raphael Renardy, atleta da base do Nacional, também amazonense, ajudou no treino. Além de conversar com os jogadores, ouviu orientações de Tite, que, segundo ele, pediu para que os convidados se sentissem em casa.

– Ele explicou o trabalho, agradeceu e pediu para que não fôssemos omissos, que a gente se soltasse e se sentisse à vontade. Para mim, serviu de aprendizado, mesmo porque estou muito longe de jogar ao lado de jogadores assim – concluiu.

Um dia para ficar guardado na memória.

Maradona e Raphael Renardy cumprimentam Tite: chance única na Arena da Amazônia (Foto: Silvio Lima)

Maradona e Raphael Renardy cumprimentam Tite: chance única na Arena da Amazônia (Foto: Silvio Lima)

Por: GE/AM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>